Domingo
21 de Julho de 2019 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Anápolis, GO

Máx
25ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Segunda-feira - Anápoli...

Máx
26ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Terça-feira - Anápolis...

Máx
27ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Página Inicial

Diego Sorgatto quer inibir "trotes telefônicos" em atendimentos de emergência

O deputado Diego Sorgatto (PSDB) apresentou o Projeto de Lei nº 2565/19, que institui multa por acionamento indevido do atendimento de emergência do Corpo de Bombeiros Militar, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), da Polícia Civil ou da Polícia Militar. A propositura está em discussão e votação na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). A multa estipulada por Diego Sorgatto no projeto é de R$ 1.000,00 ao titular da linha telefônica utilizada. “Nosso foco é inibir os chamados “trotes telefônicos”, uma vez que acionam desnecessariamente serviços que são primordiais aos cidadãos, causando impacto financeiro desnecessário. Segundo levantamento, cerca de 30% das ligações direcionadas aos números de emergência tratam-se de chamadas indevidas”, ressalta o parlamentar ao justificar a iniciativa dele. E acrescenta: “A elevada incidência dessas ocorrências gera grandes prejuízos financeiros a Administração Pública, bem como prejudica o cidadão que realmente está precisando do atendimento. Com o estabelecimento das multas, acreditamos que haverá uma conscientização do usuário, imputando a ele a responsabilidade do acionamento do serviço de forma responsável, apenas quando realmente se fizer necessário”. Diego Sorgatto lembra que existem registros de casos nos quais pessoas ligam para serviços de emergência com notória má fé, fornecendo informações enganosas, que, no entanto, geram a mobilização de viaturas e equipes da polícia e/ou da emergência médica. “A presente proposta busca ser um instrumento que contribuía com um melhor uso dos serviços e com a prestação dos mesmos aos que de fato necessitam. As multas recebidas em função desta Lei deverão ser convertidas em investimentos a serem administrados aos respectivos fundos de cada órgão envolvido”, registra o tucano.
15/05/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  159823