Quarta-feira
12 de Agosto de 2020 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Anápolis, GO

Máx
30ºC
Min
17ºC
Predomínio de

Quinta-feira - Anápolis...

Máx
33ºC
Min
19ºC
Predomínio de

Sexta-feira - Anápolis,...

Máx
32ºC
Min
20ºC
Predomínio de

Barroso nega pedido para anular buscas da PF em gabinete de líder do governo no Senado

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido da defesa do líder do governo no Senado, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), para anular as buscas feitas no ano passado pela Polícia Federal no gabinete do parlamentar. Fernando Bezerra foi alvo da Operação Desintegração, que investiga suposto pagamento de propina ao parlamentar. A PF recolheu materiais no gabinete do senador e também em casas dele. A operação foi autorizada por Barroso. A defesa do senador afirma que os policiais deixaram de fundamentar as apreensões de todos os objetos e documentos levados. Inicialmente, também tinha questionado a apresentação da íntegra da decisão que autorizou a operação, mas retificou essa informação. Na decisão, Barroso afirma que somente foram apreendidos objetos relevantes à investigação. "Finalizada a perícia, verificou-se que, de fato, havia elementos relevantes para a investigação nas mídias apreendidas", afirmou o ministro. Barroso diz ainda que a PF relatou ter encontrado planilhas no computador utilizado pela chefe de gabinete de Bezerra, Maria Adyleane, que podem indicar que a Bari Automóveis Ltda., uma das empresas utilizadas para o suposto repasse de valores no esquema investigado, pertenceria, na verdade, ao senador. "Tais indícios se reforçam por diálogos verificados em um dos celulares apreendidos entre o Senador e seu primo Lauro Coelho – o que demonstra, igualmente, a relevância da medida", diz Barroso. "As especificações constantes da decisão por meio da qual autorizei a busca e apreensão tinham por objetivo evitar que a medida cautelar promovesse interferência indevida nos gabinetes no Senado Federal. Essa finalidade foi plenamente atingida, na medida em as autoridades policiais foram bastante cautelosas na seleção e apreensão do material, bem como na apresentação das respectivas justificativas", completou o ministro.
13/02/2020 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  943911